© 2018 por Algumas Verdades. Orgulhosamente criado com Wix.com

Buscar

Amor pelas coisas imperfeitas

Haemin Sunim

Estava passeando e olhando os livros na Saraiva que fica no Shopping Independência em Juiz de Fora, quando vi próximo ao caixa esse livro que chamou minha atenção. Não só porque a capa é azul, cor que eu amo, mas pelo que ele dizia em sua contracapa.

"O mundo está precisando de um pouco mais de amor, compaixão e sabedoria. Haemin Sunim nos ensina a cultivar tudo isso e a encontrar beleza nas coisas mais imperfeitas - inclusive em nós mesmo." Susan Cain

Naquele momento as palavras trouxeram uma luz onde só havia escuridão. Pensei: - Talvez seja nessas palavras que vou encontrar respostas para conseguir me enxergar de uma forma menos dura. Os textos apresentados são muito nobres, mas também cheios de verdade.

Esse se tornou sem sombras de dúvidas um dos meus livros favoritos e que vou ter sempre por perto para reler quando sentir que seja necessário. Conforme fui avançando na leitura fui entendendo que nós mudamos e evoluímos, nosso modo de ver e enfrentar a vida tem que caminhar junto com nossa evolução, senão, ficaremos sempre presos ao passado.


O Livro é divido em oito capítulos, sendo eles:

  • Capítulo Um - Autocuidado

  • Capítulo Dois - Família

  • Capítulo Três - Empatia

  • Capítulo Quatro - Relacionamentos

  • Capítulo Cinco - Coragem

  • Capítulo Seis - Cura

  • Capítulo Sete - Iluminação

  • Capítulo Oito - Aceitação

"A verdadeira liberdade é não ter ansiedade quanto à imperfeição." - Sengchan, mestre zen do século VI

Sobre o Autor:


Haemin Sunim é um escritor e professor de zen budismo natural da Coreia do Sul, lá seus livros já venderam mais de 3 milhões de exemplares, sendo usados não somente para meditação, mas para superar os desafios do dia a dia. Formado em Harvard e Princeton.

Outros títulos do autor que você talvez conheça:

"As coisas que você só vê quando desacelera"

"O que só vemos quando abrandamos"


Em nosso dia a dia podemos enumerar várias coisas que nos deixam infelizes e insatisfeitos. Pode ser uma palavra dura após termos feito algo que gostaríamos de reconhecimento, nosso relacionamentos que ficam na corda bamba quando cometemos erros, ou mesmo quando havíamos planejávamos algo para nosso futuro e não sai como esperado. Esses são só alguns exemplos, mas as variáveis são infinitas porque cada pessoa tem algo que pode tornar seu dia infeliz. E muitas vezes quando isso acontece, nós buscamos ferir uns aos outros, intencionalmente ou não.

Devemos entender que nossa vida é preciosa demais e não devemos desperdiçá-la procurando formas de ridicularizar ou odiar a quem não nos agrada ou aquilo que não entendemos.


Logo uma das primeiras lições no primeiro capítulo foi a que mais falou comigo. Ele diz não seja bonzinho demais, e isso dói, porque tudo o que você pensa sobre si é que sendo bonzinho é a forma com que poderá fazer as outras pessoas gostarem de você. Você tenta de todas as maneiras a agradar a todos, pai, mãe, irmã/irmão, familiares mais próximos, amigos, colegas de trabalho, seu chefe e quando vê você se esquece de quem é, do que gosta e o que realmente quer.

E a pessoa que mais precisa da sua bondade e amor, fica de lado. E esse pessoa é você.

Ser "bonzinho" é alguém que age de acordo com o esperado, com a vontade dos outros. Entende o problema?


Entre os temas que estão nos capítulos Haemin nos presenteia com pequenas frases ou mesmo estrofes como em um poema, que você pode anotar em sua agenda para estar sempre lembrando daquela atitude. São fáceis e bem diretos.

"Quando você cuidar de si mesmo primeiro, o mundo também irá considerá-lo digno de cuidado."

O que senti lendo esse livro, vendo as ilustrações é que estava sendo cuidada, sabe aquele calorzinho no coração? As ilustrações são delicadas, expressam amor, cuidado, família.

Outro conselho precioso é de cuidarmos de nosso pais, pois não sabemos quanto tempo com eles ainda nos resta. E por achar que eles já sabem que os amamos, esquecemos de falar, de mostrar. Nos deixamos sobrecarregar pelos afazeres do dia a dia e usamos como desculpa o pouco tempo que temos, como ele passa rápido. O quanto eles abriram mão de sonhos pelo nosso bem. Aproveite hoje e só diga a eles: Eu te amo. Obrigado(a). Eu preciso de você.


Por fim, Namastê.

"O ser divino em mim reverencia o ser divino em você."


Espero que tenham gostado da resenha, e façam um ótimo proveito dessa leitura incrível.

0 visualização